Como se trata a ELA?

A ELA ainda é uma doença incurável. A única droga aprovada pelos Órgãos Reguladores no Brasil e no exterior para o tratamento da ELA é o Riluzol. Disse-se que o Riluzol aumenta a sobrevivência dos pacientes em alguns meses, entretanto isto já é questionado pelos pesquisadores mais importantes do mundo.

Neurologistas podem ainda prescrever medicamentos para a depressão, ansiedade, rigidez muscular, dor, apetite, controle de salivação, entre outros que são importantes para a melhora da qualidade de vida dos doentes.

Acompanhamento rigoroso da capacidade respiratória, das condições da deglutição, engasgos, nutrição e hidratação, bem como aquelas relacionadas às desabilidades gerais fazem com que o paciente com ELA deva ser acompanhado e tratado por uma equipe multidisciplinar, formada por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, nutricionistas, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais dentre outros.